Oie!!!!! Que bom que você está aqui!!!!


quarta-feira, 8 de março de 2017

                         Que tal um cafezinho?


               Fico observando as pessoas: vidas em outras vidas. O vai e vem.
               Elas vão entrando em nossas vidas, vão sentando, vão se servindo. Umas que entram entrando, outras acompanhadas por vínculos já existentes. Gostam de teu sorriso, da tua disponibilidade. E tu permite, tu acolhe, por diversos motivos. Servimos do nosso melhor  carinho, afeto, tempo:  mesa farta. Constantemente vamos abrindo a geladeira e abastecendo essa série de afetividades, deixando a mesa maior,  com um enlace afetivo crescente. O manjar segue cumprindo o seu melhor papel. Elas vão se viciando numa degustação consistente, com os sentidos aguçados, expondo sentimentos, e na medida em que vão degustando ,vão se revelando-se, diluindo, dividindo (... hum, tem talvez um gostinho de limão ou talvez doce de leite  ). Cada aroma, (adoro aromas), cada sabor, nos seus detalhes.
Mas o ápice acontece  quando essas pessoas começam  usufruindo com mais cumplicidade do nosso dia a dia,  traçando planos para outros manjares na mesa farta , caminhando , degustando desde a mousse dos deuses até o cafezinho. Compartilhando desde aquela receita que deu certo até o leite derramado. Batem a nossa porta, já com uma audácia bem vinda,  para dividir um limão, pra que possamos ajudá-las a fazer uma limonada, para que retiremos de nossa geladeira um beijinho, aquele docinho muito conhecido. Elas vem compartilhar também a mesa, daquilo que proveu na sua dispensa,  não só em dias especiais mas cotidianamente.
 Ah! Aquele limão respingou nos olhos e dele fizemos um mousse maravilhoso. Aquele beijinho? Foi repartido. 
               Mas chega o dia em que o mundo mostra outras mesas , com outras iguarias. O fato é que aquela mesa farta não mais atrai , não lhes servem mais e desistem de repartir. Não querem que você compartilhe com elas o sabor do seu doce, pois dessa forma podem sentir se induzidas a repartirem  aquela iguaria nova que encontraram em outra mesa.  Recuam, não querem mais expor seus gostos e desgostos. e numa espécie de egoísmo mascarado e desconfiado ousam o descaso, repúdio, a indiferença..O tempo se foi. Essa mesa não lhes serve mais.
                E eu? Eu  fico olhando elas passarem. e como disse Mario Quintana: Eles passarão e eu passarinho.

                                                                                                                               ZirleiDias       

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017






                                
                                     

domingo, 12 de fevereiro de 2017

A lâmpada queimada

Certa vez, um homem e uma mulher se aproximaram de um restaurante.
A mulher trazia nos olhos o brilho dos que sabem compartilhar alegrias e se sentem felizes com pequenas coisas, ela sorria muito!
O homem se apresentava carrancudo, o rosto marcado por rugas de preocupação e no coração, um tanto de revolta.
Sentaram-se à mesa e, enquanto ela olhava o menu, procurando algo gostoso para o jantar, ele como sempre começava reclamar.
Reclamou de como as coisas não estavam dando certo.
Ele tinha investido em um determinado produto em sua loja, contando que as vendas fossem excelentes mas não foram.
Acreditava que o produto não era tão atraente assim, ou talvez fosse até o preço, enfim, o homem reclamava e reclamava sem parar das vendas.
De repente, ele parou de falar e observou que a mulher parecia não estar ouvindo o que ele dizia.
Em verdade, ela estava mesmo vagando em outros pensamentos.
Olhava fixamente para uma árvore de Natal que enfeitava o balcão daquele restaurante. Sim, ela não estava interessada naquela conversa cheia de reclamações.
Neste momento, o homem parou de reclamar e também olhou na direção do olhar dela e meio de forma mecânica, comentou:
_A árvore está bem enfeitada, mas você percebeu que tem ali no canto uma lâmpada queimada no meio de todas aquelas luzes brilhantes.
_É verdade, respondeu a mulher, na realidade quase nem percebi, mas há sim uma pequena lâmpada queimada.
Sabe porque você conseguiu vê-la? É porque você está muito pessimista e negativo.
Não conseguiu nem perceber a beleza geral das dezenas de outras luzes coloridas que acendem e apagam, lançando reflexos no ambiente e deixando tudo ao seu redor lindo e feliz.


CONCLUSÃO:
Muitas vezes procuramos nos apoiar em pequenas coisas para não enxergarmos a beleza que existe em outras ao nosso redor. O que hoje está ruim, amanhã poderá mudar.
Assim também é com a nossa vida. Muitos estão reclamando das vendas de um produto ou serviço que não deu certo e se mostram tristes e pessimistas diariamente, porém se esquecem das dezenas de outras vendas positivas que fecharam em dias anteriorres.
Não devemos fixar somente o nosso objetivo, olhar ou pensamentos em uma única lâmpada queimada.

Veja bem meu amigo, a direção dos nossos pensamentos POSITIVOS OU NEGATIVOS muitas vezes nos conduzem a certeza de FECHARMOS O DIA COM CHAVE DE OURO OU NÃO..

terça-feira, 29 de novembro de 2016

Somos Breves!!



        
Silêncio ensurdecedor.
Grito calado.
Choro trágico.

( ...)  Somos breves!

Que Deus acarinhe e console  a vida de familiares e amigos.

terça-feira, 22 de novembro de 2016

DEUS

Procurei entender. Desisti.
Pensei em escrever umas linhas
Umas páginas, quiçá um livro.
Imaginei: ¨(Folhas brancas,Interrogações.FIM)
Não.!!
Estava faltando alguma coisa.
Vácuo muito grande.
Mas...
Branco ou breu?
Por um momento imaginei branco
Mas não, era breu. Por isso as interrogações.
E então percebi.
Faltava tudo
Faltava Deus.
Falta Deus.
Sem Ele a história não se conta.
Sem Ele a história sequer existe.
Pois onde não há luz, não há vida.

ZirleiDias

sexta-feira, 12 de agosto de 2016

Decepção

Por mais que eu não queira, a decepção vem e me decepciona.
Sei que não deveria esperar muito de algumas  pessoas, ou simplesmente sei que não devo colocar expectativa nelas, mas é difícil quando se fala em amar as pessoas, em conviver,  compartilhar, criar laços.
Nos usam  descaradamente e nem ficam com as faces enrubescidas. Já é habito, já virou rotina. A  questão é que por mais que se diga que não esperaremos o melhor, que não nos desapontaremos, lá vamos nós  novamente, caímos  em uma espécie de armadinha travada pelo opositor.
 Eu espero e, hoje já com um grande caminho trilhado, o mínimo, que é reconhecimento, honradez.  verdade, afeto. Mas mesmo assim me frusto, porque essas pessoas não chegam nem na linha do mínimo aceitável. Não sou eu que estou ficando exigente, os valores estão muito distorcidos, estraçalhados, porém  não consigo olhar o ser humano sem que seja no  potencial humano da essência que é amar,e por isso o desapontamento.
Há um ditado que diz que “as pessoas falsas são como produtos piratas, te atraem pela facilidade, mas te decepcionam pela qualidade”. Olhando por esse ângulo, fico mais  chocada ainda, porque um grande número delas  não querem sentir, pois dá trabalho, usam seu tempo para retocar mais uma  foto para redes sociais.
Esta havendo um isolamento, onde  deleta se  uma pessoa da vida real, com tamanha desfaçatez, pois na sua mão você tem 1000 "amigos"  em uma caixinha que basta um clique pra você colocar em On ou Off. como se isso fosse suprir a existência real de uma pessoa. É frio, é vago, é superficial.

Eu já deveria estar imune, tenho me preparado com o escudo mais forte, mas acabo me decepcionando com a minha decepção. 
A verdade é que continuo crendo que a Eva não vai morder a maçã.

ZirleiDias

sábado, 6 de agosto de 2016

Protagonista e coadjuvante

Por que tenho preferido ser coadjuvante?
Simples, já passei da metade do século, o desassossego se foi. O que almejo é esse lugar. O que estou agora. Sim o lugar que ocupo: sem holofotes, sem brilhos. Esse é o meu lugar ao sol. Mesmo que o dia lhe pareça nublado ou chuvoso,  o meu tem sol. 
Abasteço me do dever até aqui cumprido e bem elaborado, do aprendizado que tive, muitas vezes como protagonista ou não.
Audácia e aventuras faziam  parte permanente de minhas idéias e ideais. Andava sempre com o pé que era um leque, para descobertas novas, para mobilizar  meus encantos e desencantos em forma de expansão. Hoje menos.
Para alcançar um lugar de destaque. um lugar ao sol, onde mais era observada do que observava. Acredito ter feito um bom trabalho. Isso quer dizer que foi muito bom.
Hoje quero estar ao sol, mas prefiro observar o sol ao invés de ser observada no sol. Essa é a diferença entre protagonista e coadjuvante.
Chega o tempo em que a vida pede um pouco mais de calma, já diz uma música de Lenine.
Coadjuvante são importantíssimo e não é por que estou me colocando nessa condição que vou desempenha la de qualquer forma, muito pelo contrario. A força, a garra continua, mas é uma forma mais sucinta,outro jeito, mais sublime, porém com um colorido extraordinário.
Estou tranquila pois acredito ter vivido as minhas fases em tempos certos.Quando se é jovem, somos incansáveis.Mas agora não. Já estive lá. 
 A Bíblia fala em Eclesiastes 3 1.8 “Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu. Há tempo de nascer, e tempo de morrer; tempo de plantar, e tempo de arrancar o que se plantou; Tempo de matar, e tempo de curar; tempo de derrubar, e tempo de edificar; Tempo de chorar, e tempo de rir; tempo de prantear, e tempo de dançar; Tempo de espalhar pedras, e tempo de ajuntar pedras; tempo de abraçar, e tempo de afastar-se de abraçar; Tempo de buscar, e tempo de perder; tempo de guardar, e tempo de lançar fora; Tempo de rasgar, e tempo de coser; tempo de estar calado, e tempo de falar; Tempo de amar, e tempo de odiar; tempo de guerra, e tempo de paz.”
Hoje a  paisagem é outra: Existe uma árvore, um banco me convidando para sossegar.



terça-feira, 2 de agosto de 2016

Constatação



Sou afetuosa.
Compartilho o meu melhor abraço,
as minhas mais novas descobertas,
aventuras, viagens e sonhos.

Compartilho um bom café,
olho no olho, coração e coração. Sou sublime como um sorriso aberto.

Vejo a  falta de razão acobertadas por sequelas matérias. Vejo a desculpa da falta de amor atribuída as questões financeiros, ao tempo, ou a"falta"dele.

Vejo a controvérsias de seres humanos falidos de sentimentos.   
Tão raro esses sentimentos profundos!

O Deus que aquece minha alma,
O Deus que me mantém firme, viva
que me faz acordar todas as manhãs e desejar
viver, sentir a felicidade pulsar,
sem fraude, sem máscara
verdadeira, é o Deus do amor, da verdade, da encantadora fidelidade.


O vazio de algumas pessoas esta estampado em seus rostos.
Humano tateante.
Há vendas em seus olhos.
Sem Deus é triste.

Zirlei Dias



sexta-feira, 1 de julho de 2016

E de repente você se sente como se em cima de uma prancha no mar: ondas alta, ondas baixas, ondas altas, ondas baixas... Você não sabe nadar. Agora é com você e o mar, ou o enfrenta, te mantém firme, confiante ou deixa as ondas te engolirem. 
Há também a situação que sucede: as pessoas que estão na praia,. Pois a grande maioria delas afirma que você não vai conseguir e esse sim é o grande vilão desse “filme real”. Você além de lutar para se manter em pé e firme, você tem que fazer o impossível para não ouvir o que essas pessoas falam.
Neste ano 2016 fazem 10 anos que fui diagnosticada com câncer de mama. Ontem, em consulta com a Dra. Alessandra Notari, na Sta Casa , soube que agora só preciso fazer os exames habituais de ano em ano, ou seja, deu alta do tratamento e cuidados mais minuciosos. Eis uma grande vitória. Agradeço a todos que direta e indiretamente estiveram comigo neste tempo de batalha , mas sobretudo a minha linda e tão amada família e a Deus que esteve comigo em cada sorriso, pois não tive por que chorar ou contestar diante da sua zzztamanha Fidelidade e do seu Amor.

sábado, 11 de junho de 2016

"Contei meus anos e descobri
Que terei menos tempo para viver do que já tive até agora
Tenho muito mais passado do que futuro
Sinto-me como aquele menino que recebeu uma bacia de jabuticabas
As primeiras, ele chupou displicentemente
Mas, percebendo que faltam poucas, rói o caroço.

Já não tenho tempo para lidar com mediocridades
Inquieto-me com os invejosos tentando destruir quem eles admiram
Cobiçando seus lugares, talento e sorte
Já não tenho tempo para administrar melindres de pessoas
As pessoas não debatem conteúdo, apenas rótulos
Meu tempo tornou-se escasso para debater rótulos
Quero a essência... Minha alma tem pressa
Sem muitas jabuticabas na bacia
Quero viver ao lado de gente humana, muito humana
Que não foge de sua mortalidade
Caminhar perto de coisas e pessoas de verdade."
__Ricardo Gondim

terça-feira, 17 de maio de 2016

Sobre família


As bordas obtém tramas de muitos tipos e vivências. Com múltiplas texturas, avessos e reversos. Sons de várias origens e gostos. De segredos, segredados à viajantes de cada mundo, do mesmo mundo. De pontos e vista, com o mesmo ponto de partida. Mas o fio condutor que fornece malha para toda essa textura é a mesma:  A família
Laços aparentemente fortes, ou no mínimo estruturados no sonho do futuro ainda dormindo.  Enquanto juntos gargalham,  tornam-se cúmplices, compartilham... E as pequenas veias surgem, arremete ao caminho, deslizam sedentas.
Vai  se mundo afora ... amadurecendo,   buscando seu rumo. Um a um, Veia a veia.  Na busca de seu melhor. 
Dispersam se. 
Juntam-se.
Encontros. 
Desencontros.






domingo, 15 de maio de 2016

" quem se acostuma a perdoar exageradamente faz com que os demais se vejam no direito de machucar." O segredo



sábado, 14 de maio de 2016

Eu sou minha lógica, minha descoberta, meu passaporte pra paz.

Je suis ma logique, ma découverte, mon passeport à la paix.

Soy mi lógica, mi descubrimiento, mi pasaporte a la paz.

私は私のロジック、私の発見、平和へのパスポートです。

Sono la mia logica, la mia scoperta, il mio passaporto per la pace.


I am my logic, my discovery, my passport to peace.

quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Olhar estranho!!

Olhar ?
Olhar estranho?
Julgar?
Não, isso não.
 Já vivi um bocado para saber que isso não cabe a mim.
Agora olhar com uma interrogação, daí sim, as vezes queremos de forma matriarcal tirar as pedras do caminho dos passantes, mas de nada os ajudaríamos, senão eles por eles mesmo.
Segue um pouco do que digo, do que sinto, do que aprendi por esses anos idos nas palavras de Cora coralina:
 "Eu sou aquela mulher
a quem o tempo muito ensinou.
Ensinou a amar a vida
e não desistir da luta,
recomeçar na derrota,
renunciar as palavras
e pensamentos negativos.
Acreditar nos valores humanos
e ser otimista.
Não sei se a vida é curta ou longa para nós, mas sei que nada do que vivemos tem sentido, se não tocarmos o coração das pessoas.
Muitas vezes basta ser: colo que acolhe, braço que envolve, palavra que conforta, silencio que respeita, alegria que contagia, lágrima que corre, olhar que acaricia, desejo que sacia, amor que promove.
E isso não é coisa de outro mundo, é o que dá sentido à vida. É o que faz com que ela não seja nem curta, nem longa demais, mas que seja intensa, verdadeira, pura enquanto durar."

quinta-feira, 28 de maio de 2015

Todas as Cartas de Amor são Ridículas

Todas as cartas de amor são 
Ridículas. 
Não seriam cartas de amor se não fossem 
Ridículas. 

Também escrevi em meu tempo cartas de amor, 
Como as outras, 
Ridículas. 

As cartas de amor, se há amor, 
Têm de ser 
Ridículas. 

Mas, afinal, 
Só as criaturas que nunca escreveram 
Cartas de amor 
É que são 
Ridículas. 

Quem me dera no tempo em que escrevia 
Sem dar por isso 
Cartas de amor 
Ridículas. 

A verdade é que hoje 
As minhas memórias 
Dessas cartas de amor 
É que são 
Ridículas. 

(Todas as palavras esdrúxulas, 
Como os sentimentos esdrúxulos, 
São naturalmente 
Ridículas.) 

Álvaro de Campos, in "Poemas" 
Heterónimo de Fernando Pessoa

Aconchegante!

Saia em tricô, feita em padronagens diferentes de fios, com tonalidades parecidas. 

segunda-feira, 11 de maio de 2015

A verdade

         esta sempre 

                    a amostra 

                             se

       a gente quiser ver.

sábado, 9 de maio de 2015

Mães e filhos!!

Há pouco ouvi, novamente, a fala que criamos os filhos para o mundo, de uma mãezinha de primeira viagem( em seu quinto mês de gestação). Sempre considerei essa expressão objetiva demais, racional ao extremo, porque não é assim que pensava enquanto meus filhos estavam nascendo, enquanto estavam sendo amamentados, enquanto balbuciavam  as primeiras palavras, ensaiavam os primeiro passos,, enquanto os levava para o primeiro dia na escola... e por ai vai. Não é verdade que  os criei  para o mundo, embora não tinha dúvidas de que la na frente eles irão galgar seus caminhos, fazer suas escolhas. Criei meus filhos para serem filhos, pessoas de bem, para te-los  por perto. Criei meus filhos para ter acesso a sua felicidade, ás suas vitórias, ao seu sorriso, ao seu olhar de paz.  Para vê-los fazer suas  escolhas...Sabia que um dia iriam seguir seus caminhos, suas verdades, seus projetos, mas isso faz parte do contexto sem que eu, mãe,tenha me  apossado desse conceito.


Ah, eles vão seguir seus rumos, sim!! Mas "criar filhos para o mundo": essa frase não carrega em sua bagagem o verdadeiro sentido que esta inserido em meu coração. É muito forte,  para  que parta da boca, alma, mente de uma mãe. Ela é pesada  demais. Mãe é puro coração.

ZirleiDias

segunda-feira, 20 de abril de 2015

Tecendo a manhã

Um galo sozinho não tece uma manhã:
ele precisará sempre de outros galos.
De um que apanhe esse grito que ele
e o lance a outro; de um outro galo
que apanhe o grito de um galo antes
e o lance a outro; e de outros galos
que com muitos outros galos se cruzem
os fios de sol de seus gritos de galo,
para que a manhã, desde uma teia tênue,
se vá tecendo, entre todos os galos.
    
E se encorpando em tela, entre todos,
se erguendo tenda, onde entrem todos,
se entretendendo para todos, no toldo
(a manhã) que plana livre de armação.
A manhã, toldo de um tecido tão aéreo
que, tecido, se eleva por si: luz balão.

*Autor: João Cabral de Melo Neto

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Sabe aquela frase:Você pensa que me engana e eu finjo que acredito.
Vou citar mais uma: Não subestime minha inteligência!!
Então!! E uma jargão pra terminar: Gentalha, gentalha!!!

              Em tempos de Wi-Fi












Quanta palavra esta deixando de ser dita
Quanto beijo esta deixando de ser dado
Quanta afago esta ficando pra depois
Um depois que não existe.
Quantos olhares estão perdidos
Quantos sorrisos estão deixando de nascer
Quanta calma esta sendo brutalmente afetada
a espera de um depois
um depois que não existe.
Quanta descoberta,
quanta gargalhada,
quantos sonhos a serem tecidos , compartilhados...
Nada, simplesmente nada substitui o vento na cara,
o sol na pele,o abraço com o braço, com a alma.
Nada, simplesmente nada, substitui a roda de chimarrão,
a conversa solta, o olho no olho
Muita coisa esta ficando pra depois
um depois que não existe.
É tempo de reaver
De chamar os amigos...
Quero dar o meu abraço
sentindo o seu cheiro
vendo o brilho do teu olhar...meu amigo(a)
ZirleiDias

domingo, 10 de agosto de 2014

       

          
               A Casa Rosa
                       e os 
      Lampejos da Juventude

O sol, a claridade, adentrando nos enormes cômodos. O espaço prazeroso, alto, claro, tudo cuidadosamente bem planejado, bem aconchegado.
Intensidade em cada instante como se fosse o único. Conjunto de vidas privilegiadas.
Eu nem imaginava que estava fazendo parte de um filme ao qual nos anos vindouros seria protagonista. Lembranças, lindas e tão lindas que chega a doer.
O sol inundava nossos aposentos, vidas, atitudes sorrisos... Havia sol por todo lado, a começar pela escadaria, contornando a casa, no rosa das lajotas e se espalhando pelo pomar, imensos arvoredos, plantações e criações. Grandeza de perfeccionismo, fundamentalmente nítido, para não restar dúvidas que tudo valeu à pena.
A música alta no toca discos, novinho, top de linha, era fundo magistral que permeava minhas células e era absorvida abastecendo-me vitaliciamente.
Janelas, vidraças, cortinas, comida gostosa, mesa farta e povoada. Família grande e sempre com hóspedes ávidos por mais tempo em nosso convívio.
Garra de viver, e viver, certo que o presente era tudo, mas sem a consciência disso, apenas sendo inteiro a cada respirar.
Não sabia o que seria o depois, mas também, não havia tempo de sobra para pensar no depois. Estava demais ocupada em ser feliz. O nosso presente era um presente, era muito intenso, era o que tinha. E como tinha.
O conjunto todo, nos detalhes do filme de minha mente, fez com que até hoje se fizesse estrutura que me tornou o que sou sem ficar devendo nada.
Deus acertou em tudo. Oh! Deus Pai maravilhosamente encantador, que tudo sabe, me ama, me conhece. Preparou tudo o que eu sempre quis e sequer ousei a exteriorizar.
Como não dar graças!  

Nota: Casa que vivi minha infância e juventude . Recordações prazerosas, Lugar incomum por ser único.   

ZirleiDias

quinta-feira, 24 de julho de 2014

Sacrifice - Elton John e Clip As pontes de Madison - Imperdível!!


Os sonhos são bons por terem existido, independente de terem sido realizados.” 
As pontes de Madison

SÓ PRA DISCONTRAIR NESSE INCESSANTE DIA DE CHUVA



O MALA MEN

O assunto da aula era 'medo'.
A professora começa perguntando...
- Pedrinho, do que você tem mais medo?
- Da mula-sem-cabeça, fessora.
- Mas, Pedrinho, a mula-sem-cabeça não existe. É apenas uma lenda... Você não precisa ter medo.
- Mariazinha, do que você tem mais medo?
- Do saci-pererê, fessora.
- Mariazinha o saci-pererê também não existe. É somente outra lenda... Você não precisa ter medo.
- E você, Joãozinho? Do que tem mais medo?
- Do Mala Men, fessora.
- Mala Men? Nunca ouvi falar... Quem é esse tal de Mala Men?

- Quem é eu também não sei, fessora. Mas toda noite minha mãe diz na Oração: 'Não nos deixais cair em tentação e livrai-nos do 'Mala Men'.

terça-feira, 20 de maio de 2014

As mães dos saqueadores

Então, às vezes me pego a pensar se o Brasil tem jeito. Se uma varredura daria um aspecto  de casa limpa. Mas quem, faria? Quem daria inicio a esse desapego da corrupção ou do famoso “jeitinho brasileiro”.
Hoje lendo a coluna de Moisés Mendes na ZH, estive frente a resposta: As mães dos saqueadores” soou como um chamado a todas as mães.
A vida inicia-se com a mãe dando a luz, e justamente as mães que se apropriariam, devidamente é claro, do direito de devolver  a esperança ao povo brasileiro. Por que não dar continuidade a essa varredura e  transformá-la numa gigante corrente do bem, como aquele filme, lembra? Então, todas as mães de pequenos e grandes corruptos dariam novamente a luz.  Mudança que tanto ansiamos,  verdade, transparência, integridade... Ousariam e deixariam a todos embasbacados e talvez culpados por um dia terem pensado em ir embora do Brasil, em deixar sua Pátria tão amada, por concluir que ele, o Brasil não tem solução.
Utopia?!

Hoje vejo meus filhos nos preparativos para o casamento,e fico pensando, como seria bom se encontrassem pela frente..., bom deixa pra lá. Uma coisa de cada vez.

quarta-feira, 7 de maio de 2014

Digo o que penso, com esperança.
Penso no que faço, com fé.
Faço o que devo fazer, com amor.
Eu me esforço para ser cada dia melhor, pois bondade também se aprende.

Cora Coralina

quinta-feira, 3 de abril de 2014

Oswaldo Montenegro - "Me ensina a escrever" - Música inédita do show "3x4"



Minha mãezinha sempre me diz: "CARINHO NUNCA É DEMAIS.". Eu acrescento nessa sábia frase: Amor-poesia e música. Então fica assim: CARINHO, AMOR, POESIA e MÚSICA NUNCA É DEMAIS.
Obrigada minha mãe pela vida.
Obrigada Osvaldo Montenegro pela belíssima canção.

domingo, 30 de março de 2014

Seu “paraíso” depende de você.

Esta é uma antiga parábola, e de imenso significado. Sua mente é uma árvore-dos-desejos – o que você pensa, mais cedo ou mais tarde se realiza. Às vezes , o intervalo é tão grande que você se esquece completamente de que, de alguma maneira, “desejou” aquilo; então não faz a ligação com a fonte. Mas, se olhar profundamente, perceberá que todos os seus pensamentos, com medos e receios, estão criando você e sua vida. Eles criam seu inferno, criam seu paraíso. Criam seu tormento, criam sua alegria. Eles criam o negativo, criam o positivo....Todos aqui são mágicos. E todos estão fiando e tecendo um mundo mágico ao seu redor... e aí são apanhados. A aranha é pega em sua própria teia.
Ninguém o está torturando a não ser você mesmo. E uma vez que isso seja compreendido, mudanças começam a acontecer. Então você pode dar a volta, pode transformar seu inferno em paraíso; é simplesmente uma questão de pintá-lo a partir de um ângulo diferente... A responsabilidade é toda sua.


                                                        Árvore dos desejos


Uma vez um homem estava viajando e, acidentalmente, entrou no paraíso. E no conceito indiano de paraíso existem árvores-dos-desejos. Você simplesmente se senta debaixo delas,deseja qualquer coisa e imediatamente seu desejo é realizado – não há intervalo entre o desejo e sua realização. O homem estava cansado e pegou no sono sob a árvore –dos- desejos. Quando despertou, estava com muita fome, então disse:
“Estou com tanta fome, desejaria poder conseguir alguma comida de algum lugar”.
E imediatamente apareceu comida vinda do nada – simplesmente uma deliciosa comida flutuando no ar. Ele estava tão faminto que não prestou atenção de onde a comida viera – quando se está com fome, não se é filósofo. Começou a comer imediatamente... a comida era tão deliciosa... depois, a fome tendo desaparecido, olhou à sua volta. Agora estava satisfeito. Outro pensamento surgiu em sua mente:
“Se ao menos pudesse conseguir algo para beber...”.
E como não há proibições no paraíso, imediatamente apareceu um excelente vinho.
Bebendo o vinho relaxadamente na brisa fresca do paraíso, sob a sombra da árvore, começou a pensar:
“O que está acontecendo? O que está havendo? Estou sonhando ou existem espíritos ao redor que estão fazendo truques comigo...?”
E espíritos apareceram. E eram ferozes, horríveis, nauseantes. E ele começou a tremer e um pensamento surgiu em sua mente:
“Agora vou ser assassinado, com certeza...”.
E ELE FOI ASSASSINADO.

sábado, 7 de dezembro de 2013

... então...

Meu corpo treme
A pele se agita em cima da carne
Meu coração estupidamente parece querer sair pela boca
Não é hora de solucionar
Não é hora de interromper o percurso
Paro um pouco
Ouso minha respiração ofegante
Na minha quietude inquieta
O coração se agiganta no meu peito
Temo temer
Algo estranho
Como um provável deslize do alto de um prédio.
Gritar?
Por que e para quê
tento entender tudo isso.
Meu corpo esta falando
E eu não seio o que ele diz
no meu silêncio
q insiste
a voz fraca e embargada
quase sem força
responde e pondera o essencial
e a mente pensa trêmula

como se fosse parte de um jogo

um labirinto

vou deixar pra amanhã

quem sabe...

ZirleiDias

terça-feira, 24 de setembro de 2013

Teoria do Chiqueiro

Não vale a pena exasperação e bate boca, isso mina, vira ruína e mágoa. E na crescente cadeia, provoca doença e mau humor.
Pois é o facebook ta ficando assim, as pessoas estão se acostumando a esbarrões. Põe uma vírgula aqui, tira outra dali e mesmo sem vírgulas e sem pontos deixam a ira sobrecarregar seus afetos e desafetos. E pior criam novos desafetos por interpretações errôneas. O que fulano ou beltrano quis dizer com isso? E assim começa: -Acho que foi pra mim. E com esse achismo todo, vão assimilando o contexto e sobrepujando o que bem entendem, assim, a “moda loka”. Facebook, não é face-rosto, cara a cara. Cadê o olho no olho.
Falar por falar é fácil, basta eu abrir um livro e palavras maravilhosas vão encher essa página.
E falando em livro: Mark W. Baker em Jesus o maior psicólogo que já existiu, escreveu:
“só podemos entender as coisas a partir da nossa própria perspectiva.” Quando lemos um livro, um texto ou mesmo uma frase, temos nossa interpretação, outra pessoa lê tem outra forma de leitura, outra vivência, experiência e bagagem de vida. Então outra interpretação. É normal que pessoas interpretem de formas diferentes. Então não dá pra embutir goela abaixo o nosso pensar.
“Aprendemos que quando temos algum “porem” com alguém, devemos chamar essa pessoa para uma conversa “ one a one”.
Saber dominar nossos desencantos  em vez de jogar farpas ao vento é um aprendizado interior que causa amadurecimento pessoal.
Tenho alguns conceitos estabelecidos pra mim e por mim: o que é pra divertir não pode me aborrecer. O que é de entretenimento, deve seguir cumprido esse propósito. Exemplos? Vamos lá: Se eu entro na net com o intuito de me divertir ou no mínimo acrescer ao meu dia, não posso, nem devo permitir que isso me cause qualquer tipo de transtorno ou aborrecimento. Se eu vou assistir ao noticiário, devo estar preparada para notícias que fogem ao meu comando. Certo!?
 Viver em um mundo onde uma camada é fofoca, é tatear em um quarto escuro numa noite de apagão, onde você só vai confortar-se no silêncio de seu leito.
O face ta uma “COISA” e o melhor que podemos fazer é silenciar, ignorar, desprezar. É alfinetada pra tudo que é lado, e isso acaba viciando. Vicia mesmo. Existe mundo lá fora. Existe vida pós face.
Prezo pela harmonia .
Algo muito importante: Quanto mais pessoa felizes ao meu redor, mais feliz eu serei. Sei que é uma forma egoísta de pensar, mas é um egoísmo válido, já que os agraciados serão multiplicados.
Viver nessa imundícia é se manter sujo. Se você olhar para o chiqueiro de longe, você não vai ser afetada, se você chegar perto já irá sentir o cheiro , se você entrar pra dentro já vai se sujar e se ficar lá dentro será contaminado. (pense nisso) .
 ZirleiDias

domingo, 22 de setembro de 2013

Atualmente,


                         
 a tua mente
                                          Atua ou mente?

sábado, 31 de agosto de 2013



"Quem inventou a seriedade,
Ilustrações Daniel Lourenço
só podia estar de brincadeira." 

(M.Consolação)

sexta-feira, 2 de agosto de 2013

DEUS ESTÁ AQUI



   A bolha
    arrebentou.
     
A bolha 
se desfez.

A gota tragada pela fé
do ser sedento do invés do mundo
de algo pra atracar 
da busca pura 
do existível
de Adão antes de Eva
da Eva antes da serpente
de ambos antes do
ato falho: 

maçã
serpente
ganância 
poder.

A bolha fez "ploft"
e com ela os méritos da utopia.

Inalterado prevalece:
O veio-essência da bolha
O Amor do Criador
 Porto Seguro
Com seu brilho, seu silêncio e sua paz.
intraduzível
elementar.

O embate esta vencido.

Deus esta aqui!!