Oie!!!!! Que bom que você está aqui!!!!


quarta-feira, 8 de março de 2017

                         Que tal um cafezinho?


               Fico observando as pessoas: vidas em outras vidas. O vai e vem.
               Elas vão entrando em nossas vidas, vão sentando, vão se servindo. Umas que entram entrando, outras acompanhadas por vínculos já existentes. Gostam de teu sorriso, da tua disponibilidade. E tu permite, tu acolhe, por diversos motivos. Servimos do nosso melhor  carinho, afeto, tempo:  mesa farta. Constantemente vamos abrindo a geladeira e abastecendo essa série de afetividades, deixando a mesa maior,  com um enlace afetivo crescente. O manjar segue cumprindo o seu melhor papel. Elas vão se viciando numa degustação consistente, com os sentidos aguçados, expondo sentimentos, e na medida em que vão degustando ,vão se revelando-se, diluindo, dividindo (... hum, tem talvez um gostinho de limão ou talvez doce de leite  ). Cada aroma, (adoro aromas), cada sabor, nos seus detalhes.
Mas o ápice acontece  quando essas pessoas começam  usufruindo com mais cumplicidade do nosso dia a dia,  traçando planos para outros manjares na mesa farta , caminhando , degustando desde a mousse dos deuses até o cafezinho. Compartilhando desde aquela receita que deu certo até o leite derramado. Batem a nossa porta, já com uma audácia bem vinda,  para dividir um limão, pra que possamos ajudá-las a fazer uma limonada, para que retiremos de nossa geladeira um beijinho, aquele docinho muito conhecido. Elas vem compartilhar também a mesa, daquilo que proveu na sua dispensa,  não só em dias especiais mas cotidianamente.
 Ah! Aquele limão respingou nos olhos e dele fizemos um mousse maravilhoso. Aquele beijinho? Foi repartido. 
               Mas chega o dia em que o mundo mostra outras mesas , com outras iguarias. O fato é que aquela mesa farta não mais atrai , não lhes servem mais e desistem de repartir. Não querem que você compartilhe com elas o sabor do seu doce, pois dessa forma podem sentir se induzidas a repartirem  aquela iguaria nova que encontraram em outra mesa.  Recuam, não querem mais expor seus gostos e desgostos. e numa espécie de egoísmo mascarado e desconfiado ousam o descaso, repúdio, a indiferença..O tempo se foi. Essa mesa não lhes serve mais.
                E eu? Eu  fico olhando elas passarem. e como disse Mario Quintana: Eles passarão e eu passarinho.

                                                                                                                               ZirleiDias       

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017






                                
                                     

domingo, 12 de fevereiro de 2017

A lâmpada queimada

Certa vez, um homem e uma mulher se aproximaram de um restaurante.
A mulher trazia nos olhos o brilho dos que sabem compartilhar alegrias e se sentem felizes com pequenas coisas, ela sorria muito!
O homem se apresentava carrancudo, o rosto marcado por rugas de preocupação e no coração, um tanto de revolta.
Sentaram-se à mesa e, enquanto ela olhava o menu, procurando algo gostoso para o jantar, ele como sempre começava reclamar.
Reclamou de como as coisas não estavam dando certo.
Ele tinha investido em um determinado produto em sua loja, contando que as vendas fossem excelentes mas não foram.
Acreditava que o produto não era tão atraente assim, ou talvez fosse até o preço, enfim, o homem reclamava e reclamava sem parar das vendas.
De repente, ele parou de falar e observou que a mulher parecia não estar ouvindo o que ele dizia.
Em verdade, ela estava mesmo vagando em outros pensamentos.
Olhava fixamente para uma árvore de Natal que enfeitava o balcão daquele restaurante. Sim, ela não estava interessada naquela conversa cheia de reclamações.
Neste momento, o homem parou de reclamar e também olhou na direção do olhar dela e meio de forma mecânica, comentou:
_A árvore está bem enfeitada, mas você percebeu que tem ali no canto uma lâmpada queimada no meio de todas aquelas luzes brilhantes.
_É verdade, respondeu a mulher, na realidade quase nem percebi, mas há sim uma pequena lâmpada queimada.
Sabe porque você conseguiu vê-la? É porque você está muito pessimista e negativo.
Não conseguiu nem perceber a beleza geral das dezenas de outras luzes coloridas que acendem e apagam, lançando reflexos no ambiente e deixando tudo ao seu redor lindo e feliz.


CONCLUSÃO:
Muitas vezes procuramos nos apoiar em pequenas coisas para não enxergarmos a beleza que existe em outras ao nosso redor. O que hoje está ruim, amanhã poderá mudar.
Assim também é com a nossa vida. Muitos estão reclamando das vendas de um produto ou serviço que não deu certo e se mostram tristes e pessimistas diariamente, porém se esquecem das dezenas de outras vendas positivas que fecharam em dias anteriorres.
Não devemos fixar somente o nosso objetivo, olhar ou pensamentos em uma única lâmpada queimada.

Veja bem meu amigo, a direção dos nossos pensamentos POSITIVOS OU NEGATIVOS muitas vezes nos conduzem a certeza de FECHARMOS O DIA COM CHAVE DE OURO OU NÃO..